Local da área de Ciência das Religiões da Un. LUsófona onde procuramos rechear de conteúdo o conceito de Boas Práticas, quando aplicado ao universo religioso.

.posts recentes

. O Medo do Outro (notas d...

. Reino Unido reconhece ofi...

. Cooperação entre a Igreja...

. Em Londres, Bento XVI com...

. Em Ankawa, os cristãos ca...

. Que fazer com um sêlo?

. Austrália: Jesuítas vão i...

. Padre católico indonésio ...

. Primeiro lugar multi-reli...

. Capela partilhada por vár...

.arquivos

. Dezembro 2013

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

Terça-feira, 25 de Agosto de 2009

Portugal – um exemplo de Diálogo Inter-Religioso

Retirado do site da Agência Ecclesia, aqui reproduzimos um texto que elenca os principais acontecimentos que neste campo Portugal organizou.

O texto é do nosso querido amigo Dr. Mário Mota Marques. A ele o nosso agradecimento por todo o trabalho que dedica em Portugal ao diálogo inter-religioso:

                        

________________________________________

 

De certa forma o Diálogo Inter-Religioso está na ordem do dia e as relações entre as Religiões encontram-se num processo contínuo de aprofundamento, compreensão e entendimento.
No nosso país o contacto entre diferentes confissões Religiosas teve o seu início antes da Revolução de 1974 de uma forma muito ténue, devido à falta de liberdade religiosa.
De referir as relações cordiais entre o Presidente da Comunidade Islâmica Dr. Valey Mamede e a Comunidade Bahá’í de Portugal na década de 60.
O acontecimento mais mediático teve lugar na Figueira da Foz em Março de 1971. O colóquio “Liberdade Religiosa e Liberdade Humana” teve o efeito de acelerar as consciências para a tolerância e liberdade religiosa.
Este colóquio foi o percursor do Diálogo Inter-Religioso de uma forma mais alargada e sistemática. Registamos a presença de cristãos, muçulmanos e bahá’ís.
De notar a participação do Dr. Vasco da Gama Fernandes e Dr. Francisco Sá Carneiro.
Do ponto de vista legislativo foram necessários esperar ainda largos anos para que a lei 16/2001, mais conhecida como a Lei de Liberdade Religiosa fosse publicada só em 2001.
Após Abril de 1974 a sociedade portuguesa conheceu um período de grandes modificações, nomeadamente a vinda de cidadãos da África de expressão portuguesa, professando o Hinduísmo e Islamismo.
O Diálogo Inter-Religioso teve um particular incremento com a publicação da Lei 58/90 que regulamenta o tempo de emissão para Confissões Religiosas.
O preconceito religioso nasce, em grande parte, do desconhecimento e falta de informação sobre os ensinamentos sagrados e actividades das Confissões Religiosas. Quanto maior e mais aprofundado for o conhecimento da essência dos valores de cada confissão, tanto mais fácil é verificar pontos de convergência, começando com a crença num Deus único.
O tempo de emissão atribuído às Confissões Religiosas tem sido um factor importante para um Diálogo Inter-Religioso mais sistemático que tem contribuído para o conhecimento e o respeito pela diversidade.
A Igreja Católica tem participado activamente no Diálogo Inter Religioso e teve a iniciativa de incluir um Espaço Inter-Religioso na EXPO-98.
As múltiplas reuniões que levaram a que tal Espaço fosse uma realidade permitiram aos representantes das Confissões Religiosas um diálogo e uma consciência espiritual, na medida em que o Espaço Inter-Religioso constituiu uma expressão de tolerância e universalidade, centrados no Divino e na Fé.
Dos encontros organizados em Portugal salientamos pela sua expressão nacional e pelo seu simbolismo:
Janeiro de 2002
A Igreja Católica convidou hindus, budistas, islâmicos, bahá’ís, judeus, ortodoxos e presbiterianos para um encontro Inter-Religioso na Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Lisboa. D. José Policarpo afirmou: “A paz é um dom de Deus e quem acredita em Deus, seja quem for, tem de estar no mundo em paz. As celebrações ecuménicas e os encontros inter-religiosos procuram despertar consciências”.
Janeiro de 2003
Em Setembro de 2003 realizou-se o 47.º Congresso Internacional de Advogados que terminou com uma cerimónia de Orações pela Paz. Presentes Hindus, Budistas, Muçulmanos, Católicos, Ortodoxos e Bahá’ís. Do tecto caíram pombas brancas de papel. Foi tocante!
Maio 2006
O Governo português patrocinou o livro “Religiões – História – Textos – Tradições” onde estão incluídos: Hinduísmo, Judaísmo, Budismo, Cristianismo, Islamismo e Fé Bahá’í.
Setembro 2007
A Comunidade Islâmica de Lisboa convida o Dalai Lama para uma visita à Mesquita Central para uma cerimónia Inter-Religiosa que contou com a presença do cristianismo, hinduísmo, judaísmo, Igreja Ortodoxa Grega e Fé Bahá’í.
Outubro 2007
Integrado no Ano Europeu para a Igualdade de Oportunidades Para Todos teve lugar na Fundação Mário Soares um colóquio com os representantes das principais Confissões Religiosas.
Num mundo em convulsão e mudança, viver e participar activamente no Diálogo Inter-Religioso em Portugal constitui uma bênção e um privilégio.
                        
                       
Mário Mota Marques, Comunidade Bahá’í de Portugal

publicado por Re-ligare às 00:32
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds