Local da área de Ciência das Religiões da Un. LUsófona onde procuramos rechear de conteúdo o conceito de Boas Práticas, quando aplicado ao universo religioso.

.posts recentes

. O Medo do Outro (notas d...

. Reino Unido reconhece ofi...

. Cooperação entre a Igreja...

. Em Londres, Bento XVI com...

. Em Ankawa, os cristãos ca...

. Que fazer com um sêlo?

. Austrália: Jesuítas vão i...

. Padre católico indonésio ...

. Primeiro lugar multi-reli...

. Capela partilhada por vár...

.arquivos

. Dezembro 2013

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

Domingo, 19 de Setembro de 2010

Em Londres, Bento XVI com líderes religiosos

           

Ao contrário do que aconteceu na recente visita a Portugal, em LOndres teve lugar um encontro entre o Papa e vários líderes religiosos.

          

Estas iniciativas são sempre de sublinhar. Tanto mais que nos podem dar indicadores muito preciosos de como as religiões encaram esta herança que o dever de se encontrarem em locais públicos.

 

Neste caso, dois tópicos interessa não esquecer:

 

1. Numa atitude de clara superioridade, Bento XVI recebeu os cumprimentos dos líderes religiosos, tomando a dianteira simbólica do acontecimento. Ao deixar-se filmar nessa atitude benevolente de quem recebe e de quem convida, assumindo-se quase como quem "convoca", Bento XVI, mais uma vez, deu à Igreja de Roma o lugar de primazia neste processo, criando uma desigualdade e, mais uma vez, remetendo o diálogo entre religiões para um simples folclore mediático, de boas fotografias, mas escasso conteúdo.

 

2. Por fim, no seu discurso, pediu o que, efectivamente é necessário para se abrir um claro e sem ressentimento diálogo: o Respeito. Neste ponto, Bento XVI ultrapassou o campo do "politicamente correcto", colocando o "dedo na ferida".

Seguindo o texto do Público: Bento XVI pediu o respeito pela "liberdade de seguir a própria consciência sem sofrer o ostracismo ou a perseguição, mesmo se alguém se converte de uma religião a outra". "Penso em particular nas situações existentes em certas partes do mundo, onde a cooperação e o diálogo entre as religiões exigem o respeito mútuo, a liberdade de praticar a sua própria religião e de tomar parte em actos de culto públicos", afirmou.
           

Talvez, finalmente, se esteja a entrar noutro campo do diálogo, o do Respeito que é necessário lançar sobre estas relações.

publicado por Re-ligare às 11:18
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds